DÉBORA DENADAI EM PROSA E VERSO

FAZER POESIA É LAVAR A ALMA FAZENDO SANGRIA...

Textos


SILÊNCIO NAS PALAVRAS

Por que minhas palavras se foram,
Deixando-me assim, sozinha?
Por que motivo este abandono,
Sem nenhum aviso, uma linha?
Estava eu, sem saber, distraída,
Descuidada, desatenta,
Como nau abandonada,
Esquecida, à deriva?
Onde andam minhas amigas,
Em que outro mundo,
Perdida entre coisas avessas,
Em algum lugar tão profundo,
Em outros campos, outras lidas?
Por que se foram as palavras minhas,
Como carne apodrecida,
Solta de ossos feito pó,
Como um fantasma que caminha,
Louco, silencioso e só,
Deixando minha alma,
Tão pobre, silente, sozinha?
Não sei onde buscá-las.
Estarão distantes.
Quem sabe?
Em outras almas e falas,
Esperando por minhas asas
Atrofiadas pelo tempo,
Perdidas num canto da casa,
Ou escondidas aqui dentro,
Burlando-se desta busca
Que desespera e arrasa?  

www.deboradenadai.prosaeverso.net
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 12/10/2013
Alterado em 12/10/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras