DÉBORA DENADAI EM PROSA E VERSO

FAZER POESIA É LAVAR A ALMA FAZENDO SANGRIA...

Textos


VAZIO
* à minha amiga L..., que me deu a história real.

Ninguém vai entender nada,começando por você...Talvez nem eu mesma entenda,talvez nem queira entender.Já não vejo nas nuvens bichos, figuras, pessoas. Já não me importa amanhã, se você existe e me perdoa ou é só mais uma construção mal acabada dentre milhares que vi pela estrada. Dizem que as pessoas que nada esperam são ricas... Nesse caso, ganhei milhões na loteria porque o que já foi um dia, já era, virou cinza, alegoria. Gostaria de crer que algo fantástico vai mudar o rumo dos dias, mas meu cartão de crédito acusa débito no quesito esperança, aumentando a cada dia.  Carrego comigo uma certeza, que se confirma cotidianamente, de que estou passando pela vida ou ela por mim, e que tudo é um jogo da mente. A mente, meu caro, é um artigo, que não raro, te mente. Peço que ela me minta e me diga, que você nunca existiu, e que ironia, ao mesmo tempo  me diga, que vai existir um dia. A gente acha que sabe tanta coisa, aprende aritmeticamente que um mais um é igual a dois, e a verdade é que não é, mas só se descobre depois. Depois que você descobre que um pode ser igual a zero, a nada, que nossa suposta felicidade era uma farsa, uma piada. E aí, sobra tempo para as palavras, ou são as palavras que sobram? Não sei,  tem gente que sofre pela ausência. A ausência, meu caro, é tão somente uma presença desacompanhada. Ainda é algo. Pior do que a ausência, é este frio, este cinza eterno, este vazio.

www.deboradenadai.prosaeverso.net
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 17/05/2011
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras