DÉBORA DENADAI EM PROSA E VERSO

FAZER POESIA É LAVAR A ALMA FAZENDO SANGRIA...

Meu Diário
14/05/2005 19h43
PUDERA...
A gente sempre acaba deixando algum poema esquecido. Num fundo de gaveta, numa caixinha que a gente nem lembra mais onde pôs ou num canto de memória que a gente relega para outra hora.
E aí, a hora dele passa. E quando a gente vê, o infeliz vira um "pudera"...Um lamento sobre nós mesmos, sobre a nossa própria negligência.
A gente carrega uma mala cheia de "puderas"...Pena, né?
beijos no coração
Ah! e um beliscão na bunda, crianças
débora

Publicado por Débora Denadai em 14/05/2005 às 19h43
 
14/05/2005 18h44
NUA
Já encontrou uma dessas criaturas que te deixam feito Eva só de olhar pra tua cara?
Não, não to falando do sujeito que te olha com cara de cachorro naquelas maquininhas de frango assado, babando feito o demo e querendo te comer, em todos os sentidos.
To falando de gente que desnuda a tua alma. Nada impede de te desnudar o corpo também. Mas isso é decorrência natural da coisa. Quando alguém despe-nos a alma já andou muito mais que metade do caminho para desnudar o corpo....Todo mundo sabe disso.
É verdade que a gente se assusta no começo. Ninguém gosta de se sentir exposto, vulnerável. Bobagem. Se você encontra alguém capaz de despir a sua alma, quase sempre este alguém também traz a alma exposta nos olhos. E o coração transparente.
E vale a pena. Ô se vale, meninada...
bjos no coração e beliscão na bunda
d

Publicado por Débora Denadai em 14/05/2005 às 18h44
 
14/05/2005 18h04
UMA JÁ É DEMAIS
Quando escrevi isso, era um daqueles dias que a gente olha pro espelho e nem tem muita idéia de quem é aquela sujeita encarando a gente do outro lado. Já teve um dia desses? Ah, teve...todo mundo tem. Há um tempo atrás, eu desfiava brigas intermináveis com o espelho. É lógico que também rendeu um bocado de textos.Só que pesados, deprê. Esta, quando digo que uma já é demais, não fala do insuportável. Fala da minha satisfação de ser eu mesma. Apesar e com todos os julgamentos alheio. Eu sou demais, não com a empáfia insuportável e fora da realidade dos Narcisos. Meu demais é um presente que custei muito a me dar: aceitar e amar incondicionalmente, com todas as mazelas, esta moça do lado de cá do espelho.
Meiguinhaaaaaaaaaaaa...Um doce essa mocinha, né?
bjos e um beliscão na bunda

Publicado por Débora Denadai em 14/05/2005 às 18h04
 
13/05/2005 23h09
ENTÃO SABERÁS...
Pensando bem, acho que a foto combinou com o texto...então, divirtam-se!

Publicado por Débora Denadai em 13/05/2005 às 23h09
 
13/05/2005 17h35
ALICE E OS TRANSGÊNICOS
Andei conversando com a Alice. Aquela dos orgasmos, da pimenta e do País das Maravilhas. Não gostou muito da mulher transgênica. Ela acha que um pinto na cabeça ia complicar muito na hora de fazer xixi. Agora quer que eu imagine aí um homem transgênico. Que tenha uma cabeça em cima do pescoço.
- ALICEEEEE, HELLLLOOOOOOO....Isso já tem
- Eu sei, meiguinha, eu sei...Só que a maioria vem com o disco zerado e o backup não funciona...E quando tenta pensar, dá pane...Faz aí um que pense, faz, meiguinha...
-ALICEEEEEEE....TEM DÓ, AÍ F...

Publicado por Débora Denadai em 13/05/2005 às 17h35



Página 6 de 7 1 2 3 4 5 6 7 [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras