DÉBORA DENADAI EM PROSA E VERSO

FAZER POESIA É LAVAR A ALMA FAZENDO SANGRIA...

Meu Diário
09/10/2007 10h37
ATENÇÃO SENHORES PASSAGEIROS...

 

Sim, eu to um sacal. Sim, porre é um nome até generoso pra me qualificar hoje. Sim, acho que essa primavera tá uma tremenda falsificação e quero minha grana de volta. E, não, eu NÃO posso e nem to afim de mudar isso.

Acho um saco ter que explicar que vou muito bem obrigada sem ninguém - leia-se, homem - pendurado do meu lado. Sim, é um porre explicar que a equação mulher só = pobre desconsolada-amarga-malamada é a maior bobagem que alguém já teve a infeliz idéia de inventar.

Sim. Enche minha paciência ter que explicar porque não quero isso ou aquilo. Enche minha cabeça de idéias de torturador quando alguém pega no meu santo pezinho quando já deixei bem claro que quero FICAR NA MINHA, CARAMBA!

Eu to um saco. Eu to chata. Se você tava procurando um lugar para buscar auto-ajuda, como ser vítima e ser compreendida e ganhar a piedade alheia, avisamos que errou o alvo, criatura ... Vá até a banca ou livraria mais próxima e procure o último livro do Lair Ribeiro ou similares. Polyanna não mora aqui. Madre Tereza de Calcutá já está no andar de cima faz tempo.

Além disso, esse site é meu. E hoje to com a macaca. Tenho meus direitos reservados.

A gerência agradece.

Beijos e um beliscâo na bunda.


Publicado por Débora Denadai em 09/10/2007 às 10h37

Site do Escritor criado por Recanto das Letras