DÉBORA DENADAI EM PROSA E VERSO

FAZER POESIA É LAVAR A ALMA FAZENDO SANGRIA...

Meu Diário
01/06/2007 09h53
É PRECISO TER CORAÇÃO...E CORAGEM
...“A palavra coragem é muito interessante. Ela vem da raiz cor, que signfica coração. Portanto, ser corajoso significa viver com o coração. E os fracos, somente os fracos vivem com a cabeça; receosos, eles criam em torno deles uma segurança baseada na lógica. Com medo, fecham todas as janelas e portas - com teologia, conceitos, palavras, teorias - e do lado de dentro dessas portas e janelas fechadas, eles se escondem.

...Basicamente coragem é pôr em risco o conhecido em favor do desconhecido, o familiar em favor do estranho, o confortável em favor do desconfortável - árdua peregrinação rumo a algum destino desconhecido. Nunca se sabe se você será capaz de fazer isso ou não. É um jogo arriscado, mas só os jogadores sabem o que é a vida”.
(Osho, do livro: “Coragem, o prazer de viver perigosamente”.)

Há dias em que me surpreendo e não reconheço mais a criatura que me olha no espelho. E , para ser honesta, esses dias vêm se repetindo um após o outro. A cada manhã, a cada olhada que dou para aquela estranha do outro lado, vejo uma pessoa cada vez mais diferente. E querem saber? Eu gosto disso.
Essa que hoje escreve, cada dia mais diversa da de ontem e de algum tempo atrás, é alguém que superou medos. Entendam bem: ela não perdeu os medos que tinha. Ela os administrou, os superou, o que é muito diferente.
Já fui extremamente covarde, excessivamente temerosa, e sim, acomodadíssima. É realmente confortável viver naquilo e daquilo que já conhecemos. Quantas vezes você já viu pessoas que dizem preferir uma situação ruim, mas conhecida do que a possibilidade de algo melhor, mas que ainda não conhecem? A maior parte de nós pensa assim. Este é o problema: a maior parte de nós pensa demais, pondera demais, calcula demais as conveniências. E vive uma vida previsível, morna e, obviamente, insatisfatória e pobre. Estão mortos, mas não sabem.
Não sou uma desarvorada que se atira em precipícios, não como cocô, nem rasgo notas de cem dólares (até porque nem tenho...) . Só não quero mais viver escrava da mente e dos pensamentos. Isso colocaria a perder a melhor parte que encontrei em mim nos últimos tempos e que está resumida numa única palavra: coragem. Eu quero viver, pulsar, sentir a vida. Quando não for mais assim , por favor, podem mandar me cremar. Não servirei para nada. Principalmente não servirei para mim mesma.
BEIJOS E UM BELISCÃO...VOCÊS SABEM ONDE...
DÉBORA

Publicado por Débora Denadai em 01/06/2007 às 09h53

Site do Escritor criado por Recanto das Letras