DÉBORA DENADAI EM PROSA E VERSO

FAZER POESIA É LAVAR A ALMA FAZENDO SANGRIA...

Meu Diário
04/06/2005 13h26
SAUDADES ANDINAS
Terei que escrever aqui na linguagem dos messengers e chats, já que naum há jeito de encontrar nestes teclados en espańol alguns acentos. Mas vaum me entender, por supuesto.
É certo que naum estou aqui vendo esta imagem maravilhosa da foto. Mas foi um instante belíssimo enquanto caminhava por uma avenida aqui do centro de Santiago, enxergar por detrás de um prédio alto o pico nevado da montanha. Tive que parar no meio da rua e, como se dice aca, quedarme para mirarlo...
Lindo, imponente e nos dá a medida exata da grandeza da criacao. Mesmo sem o cedilha, a criacao é a criacao. É lindo estar aqui, ver estas coisas tao diferentes e que nos fazem pensar. Mas segue dentro crescendo, como disse na minha poesia (No me toca) o coracao amarelado pela saudade.
Saudade da minha terra, do meu filho, do meu amor. Saudade boa de quem tem do que ter saudade. Saudade que se permite doer, mas nao tira o gosto das coisas boas que vao sendo experimentadas.
Saudade que nao nos tira o CARPE DIEM, momento a momento.
besos para voces todos e um beliscao na bunda para nao romper a tradicao
débora

Publicado por Débora Denadai em 04/06/2005 ŕs 13h26

Site do Escritor criado por Recanto das Letras