DÉBORA DENADAI EM PROSA E VERSO

FAZER POESIA É LAVAR A ALMA FAZENDO SANGRIA...

Meu Diário
21/05/2005 01h06
ACIDENTE DE PERCURSO
A gente passa um bocado de tempo caçando um amor pra amar. E é lógico, pra ser amado, porque ninguém também é besta ou tem espírito de monge. Corre atrás, persegue, acha que encontrou, quebra a cara. Corre atrás de novo, começa a novela toda outra vez. De vez em quando desiste.
O problema é que a gente nunca sabe ao certo, de todos os amores que a gente andou encarando, qual é o amor. Aquele, manja? É, aquele que faz tudo de um jeito meio contraditório: balança a rede, sacode a galera, depois acalma, faz cara de zen e a vida melhora que só.
Problema pior é que a gente é meio mané: quando acha o dito cujo, toma um susto dos diabos, fica meio abestado, não sabe o que fazer e fica feito aqueles cachorros que correm atrás dos carros e quando o carro pára, o vira-lata não sabe o que fazer com ele.
Nada como o beijo certo pra fazer a gente escorregar na curva, atravessar o farol vermelho, e soltar um belíssimo e sonoro "amo você". Pode até ser uma catástrofe.Mas lava a alma.
beijo em todas as almas e um belo beliscão na bunda
d

Publicado por Débora Denadai em 21/05/2005 às 01h06

Site do Escritor criado por Recanto das Letras